As práticas da Governança Corporativa: Do pensamento à decisão

As práticas da Governança Corporativa: Do pensamento à decisão

Podemos dizer que a Governança Corporativa é o conjunto de praticas administrativas que visam melhorar o desempenho da empresa e o modelo de gestão, através de informações acessíveis à sociedade. (Foto: Divulgação).

Na década de 1990, o mercado americano foi conturbado por uma série de fraudes bilionárias em que as Empresas estavam quebrando por não haver mais uma certa credibilidade e também, a perda da atratividade nos negócios do mercado empresarial. Foi neste mesmo período que surgiu os conceitos e abrangência da Governança Corporativa, que nada mais é do que o conjunto de práticas administrativas que têm por fim, junto de seus stakeholders, a partir de uma administração participativa e democrática, otimizar o desempenho da Empresa, seu modelo de Gestão e ainda, tornar as informações básicas da Empresa acessíveis ao seu público, implantando diversos métodos de transparência através das ferramentas e/ou canais de marketing.

A Lei Sarbanes-Oxley (Sabox) difundiu os conceitos de transparência da Governança Corporativa, além de tratar da qualidade da informação como uma forma de recuperar o mercado empresarial, baseando-se no reestabelecimento da confiança e integridade da informação, através de uma participação conjunta, em que todos eram os envolvidos e responsáveis em desenvolver os projetos da empresa. Todo este dinamismo gerou a participação e o surgimento de Conselhos Administrativos das Empresas, que nada mais são do que órgãos deliberativos que são responsáveis em identificar, analisar, debater e decidir sobre os assuntos da Empresa, saber dizer a hora do Sim e a hora do Não, em que sua estrutura, formada por profissionais da Administração e Técnicos da Empresa, devem articular com a finalidade de defender o seu próprio Patrimônio e os de seus acionistas, onde acaba a idéia de que o sócio majoritário é que tem o maior aporte de capital ou porcentagem dos lucros; através da Governança Corporativa os sócios e/ou acionistas passaram a ser tratados de forma equitativa, fazendo com que os investidores inserissem toda a sua credibilidade e responsabilidade na Empresa.

Então para sintetizarmos o que analisamos até então podemos dizer que a Governança Corporativa é o conjunto de praticas administrativas que visam melhorar o desempenho da empresa e o modelo de gestão, através de informações acessíveis à sociedade; já o Conselho Administrativo é um órgão deliberativo da Empresa, estruturado por profissionais qualificados, que visa proteger o Patrimônio e trazer um retorno maior ao seu negócio.
Alinhada às práticas do Modelo de Gestão, estão insertas dentro do mesmo os estilos administrativos e os instrumentos administrativos. Para entendermos o foco, precisamos detalhar o que vem a ser um modelo de gestão. O Modelo de Gestão é a estrutura administrativa que tem a finalidade de implantar a forma básica de se administrar uma Empresa, por meio do seu estilo administrativo e do instrumento administrativo. Então, sobre o estilo administrativo, este caracteriza-se como a forma que a empresa vai administrar seus departamentos e como irá realizar todo o fluxo do seu processo decisório, se é mais centralizado ou descentralizado, se é mais rígido ou formado por uma liderança liberal ou situacional. No caso dos instrumentos administrativos, são todas as áreas do conhecimento da Administração que a empresa deve utilizar para abordar seus processos e chegar a um objetivo comum, é utilizar dos conhecimentos da ciência administrativa para gerir o seu patrimônio, seja ele tácito ou intangível. Ou seja, os instrumentos administrativos são a utilização das áreas da Administração como nos setores de Gestão de Pessoas, Logística, Marketing, ou seja, cada área desta tem um conhecimento específico que irá auxiliar a Organização a melhorar seu desempenho e garantir os cumprimentos de suas metas, trabalhando sempre com suas diretrizes organizacionais em realizar seus objetivos perante ao que ela planejou.
Note que o modelo de gestão é uma forma básica de administrar uma empresa, cabendo aos Administradores decidirem como deverá ser a rota do fluxo da informação, quais as metodologias a serem utilizadas para fazê-lo funcionar e quais os seus agentes que controlarão este fluxo (estilo administrativo), de acordo com os conhecimentos da área da Administração já atribuídos aos departamentos da Empresa (instrumentos administrativos). Então o modelo de gestão envolve estas práticas, do conhecimento à decisão, de forma que ambos ganhem um nível de coerência com os propósitos estratégicos da Empresa, que é o fator delineador do que deve ser feito para se chegar a um patamar esperado, conforme o projetado pela Gestão Estratégica.
Podemos dizer que este assunto tem um caráter fortemente estratégico, onde a arte estratégica não passa a ser exclusivamente envolvimento da Alta Gerência, mas agora passa a envolver todos que estão dentro e fora da Empresa, através das práticas otimizadas do Conselho de Administração e da Governança Corporativa.
Se levarmos em consideração que a Estratégia é uma arte, e sabemos que a arte provém do pensamento ou da cognição humana, podemos afirmar que ação de pensar não pertence mais exclusivamente à Alta Gerência, mas sim a todos os envolvidos para com a Empresa. Os seres humanos dentro das Empresas passam a deixar de serem robôs com pensamentos tayloristas e, agora, passam a se tornar donos de suas próprias competências básicas e essenciais, gerando competências organizacionais.
Fontes:
Avalie este artigo: 1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas 2 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

X