Como transformar uma falha de inovação em sucesso?

Embora a falha seja desconfortável, é algo que provavelmente acontecerá durante a criação de novo valor

O fracasso é necessário para a inovação, e no processo de inovação ele já é esperado na maioria dos casos. De fato, é algo cada vez mais celebrado. Empresas de todo o mundo agora falam em “usar o fracasso como um distintivo de honra”. Mas as empresas deveriam realmente celebrá-lo? Essas empresas sabem como lidar com o fracasso e o que realmente aprendem com isso?

A ideia por trás da comemoração do fracasso é simples: a inovação é um processo extremamente desestruturado impulsionado por inúmeras variáveis ​​dentro e fora de seu controle. Quando uma grande parte de sua produção de inovação é baseada em eventos aparentemente aleatórios ou incontroláveis, a probabilidade de falha é alta. Para ter sucesso na inovação, as organizações precisam aceitar essa realidade.

O fracasso não é apenas um passo no caminho para criar ofertas inovadoras; também oferece lições valiosas que só podem ser aprendidas na tentativa de criar um novo valor.

Mesmo as empresas mais inovadoras falham com mais frequência do que parece. Apple, Amazon, Google, Microsoft – empresas amplamente consideradas como as empresas mais inovadoras do mundo – tiveram mais fracassos do que sucessos, mais erros do que acertos.

Mas essas empresas inovadoras têm uma cultura em que aprendem com o fracasso e não apenas comemoram.  Usar o fracasso como um distintivo de honra só é bom se ajudar você a ter sucesso na próxima vez. Infelizmente, muitas empresas são notórias por repetirem repetidamente o mesmo erro; esse não é o distintivo de honra que você quer. Essas empresas não entendem o fracasso ou respeitam o suficiente para aprender com isso.

 As empresas não aprendem com o fracasso, os indivíduos sim

Tentar e falhar em algo lhe dá uma compreensão conceitual significativamente maior de como fazer algo. É esse entendimento profundo que converte a falha em sucesso futuro. Como resultado, as empresas não aprendem com o fracasso, os indivíduos o fazem.

São os indivíduos que tentaram e falharam que provavelmente terão sucesso na próxima vez. Ironicamente, em nível corporativo, as organizações são péssimas em apoiar indivíduos que falharam.

Em muitos casos, sempre que há falha em alguma coisa, a próxima tentativa é com um conjunto diferente de indivíduos. Isso desperdiça o valor institucional do fracasso. Os indivíduos que tentaram, falharam e aprenderam lições valiosas no processo, raramente se encontram no mesmo cargo ou na mesma empresa.

Seu novo conhecimento de falhas anteriores permite que eles criem novos valores em outras organizações, enquanto a empresa que sofreu a falha inicial não está melhor, já que perdeu alguém com grande capacidade de aprendizado.

Ninguém quer reviver falhas. Conseqüentemente, sempre que uma iniciativa falha, as empresas geralmente fazem uma revisão superficial documentando o motivo. As empresas não gostam de falar sobre falhas: elas querem se concentrar no sucesso futuro.

E essa mentalidade tira uma das maiores oportunidades de aprendizado na frente deles. Só podemos aprender com fracassos se os tratarmos com respeito. Para fazer isso, é necessário um ambiente neutro e sem julgamentos para entender  a  verdadeira razão de uma inciativa ter falhado.

Como aprender com o fracasso?

Geralmente, há duas razões para uma tentativa de inovação falhar. A primeira é a incapacidade de desenvolver o produto ou a oferta da maneira que você deseja. A segunda é a incapacidade de obter tração do cliente. Se sua falha não for capaz de criar um produto como desejado, o primeiro passo é continuar tentando. A persistência compensa!

Também discuta seus bloqueios com pessoas de equipes e setores diferentes. Em muitos casos, ter um novo olhar no seu problema pode lhe dar uma nova perspectiva. A ciência da inovação mostrou que as inovações acontecem quando idéias e perspectivas diferentes se chocam e se misturam. Ou, às vezes, pode ser melhor colocar o esforço de desenvolvimento em espera e permitir que um conjunto diferente de indivíduos avance uma iniciativa.

Ao longo da história da inovação, vimos que ideias que não funcionaram em um determinado momento encontraram sucesso em um momento posterior com um grupo diferente de pessoas. Se a sua inovação foi desenvolvida, mas falhou no mercado, porque os clientes não a adotaram, então, dê uma olhada para ver se a experiência do cliente que você ofereceu realmente proporcionou uma melhoria significativa em relação à maneira atual de fazer as coisas.

Em outras palavras, teve uma delta de experiência positiva? Uma das razões mais comuns pelas quais as inovações falham no mercado é que a vantagem que elas oferecem sobre as alternativas atuais não é percebida como alta o suficiente.

Você só pode aprender com o fracasso por meio de uma análise meticulosa do motivo pelo qual uma iniciativa falhou.

As falhas provavelmente resultarão em sucessos futuros quando as organizações tiverem uma abordagem eficiente para avaliarem o motivo das iniciativas falharem e depois disseminarem essas informações para que o conhecimento se torne institucional. E os indivíduos que foram responsáveis ​​pelo fracasso? Se os esforços para obter sucesso forem genuínos, eles serão tão mais sábios em seus fracassos que seria uma pena não colocar seu valioso aprendizado e experiência em outras iniciativas importantes.

Embora a falha seja desconfortável, é algo que provavelmente acontecerá durante a criação de novo valor. O modo como você lida com isso determina se a falha está limitada a uma única iniciativa de curto prazo ou a uma oportunidade de aprendizado de longo prazo que pode levar a uma série de sucessos futuros em sua organização.

FONTE:

Avalie este artigo: 1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas 1 

Você pode gostar...

X