A importância da Cultura Organizacional

O especialista da comunicação organizacional desenvolve suas competições diante das necessidades das organizações públicas e privadas, através de ações criativas, com a firme intenção de gerar uma modificação ou mudança que transforme a realidade existente.

É essencial que uma organização tenha uma imagem única para que tanto o público interno quanto o externo se sintam dessa maneira. Para conseguir isso, os primeiros que devem percebê-lo são sua própria comunidade, isto é, compartilhar com eles a identidade institucional para que sejam portadores desses valores ou atributos que a organização reconhece como essenciais.

Essa identidade nada mais é do que as características que a diferenciam de outras organizações, por isso, é importante ter uma cultura própria, baseada em seus valores institucionais. A cultura é um fator que estabiliza a vida da organização, também desempenha um papel fundamental para mantê-la, adaptá-la e evoluí-la na era de mudanças que vivemos hoje.

Quanto uma organização deve mudar para permanecer e ter sucesso e quais mudanças evitar para alcançar o mesmo fim? A resposta para isso não é quanto deve ser mudado, mas o que muda e a que horas fazê-los.

O fundamental é o sentido das mudanças que são feitas e não o número delas.

Cultura organizacional é uma série de valores, crenças, estilos, hábitos e princípios que abrangem sua identidade institucional. Do exposto, destacam-se as crenças, que são ideias e premissas que dão uma visão de mundo dentro da organização, verdades que definem e marcam o estilo com o qual as coisas são feitas ali. Isso unifica o comportamento de seus membros para que trabalhem em união e harmonia.

Para Abraham Nosnik, toda a cultura organizacional deve ter três elementos a ser: inércia sistêmica (da própria instituição), história (a força de sua cultura) e reações inconscientes ou automáticas (a forma como seus líderes definem a organização, comportamento).

Ou seja, a própria organização apresenta uma história, com o passar do tempo ela se torna um estilo próprio; graças a sua história, desenvolve, amadurece, e sua cultura se consolida se tornando única. Com o estilo e os costumes das pessoas que compõem, automaticamente e inconscientemente manifestam o seu modo de fazer e acreditar nas coisas em particular: identidade.

A filosofia organizacional tem uma influência fundamental na identidade institucional. Por sua vez, a filosofia é a afirmação que governa a organização. Nela, os ideais são levantados, a visão do futuro, para trabalhar em equipe e cumprir sua missão.

A missão nos dá a conhecer o propósito fundamental da organização; estabelece expectativas gerenciais sobre políticas e desempenho. Uma declaração de missão bem desenvolvida é sensível às forças do meio ambiente e, para ser boa, deve se concentrar em atender às necessidades do cliente.

Para isso, é necessário que os membros da organização mantenham um senso compartilhado de sua realidade com a intenção de que eles entendam seus valores, interpretem seus símbolos e se reconheçam como uma organização. Os valores contribuem para o desenvolvimento de políticas institucionais, a ética da empresa e regulam a moralidade com que cada um de seus membros se desempenha.

Essa é a identidade corporativa, que surge do diagnóstico dos atributos essenciais da organização e suas aspirações para uma possível melhoria. É objetivo presente e futuro verdadeiro o que a organização é e o que ela pretende ser.

FONTE:

Avalie este artigo: 1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas 4 

Você pode gostar...

X